Conheça as principais diferenças entre pós, MBA, mestrado e doutorado no exterior

Com tantos títulos e extensões universitárias que contemplam o aluno que já se formou na faculdade, escolher um curso para dar continuidade aos estudos pode não ser uma tarefa simples. Mesmo quem está totalmente imerso no mundo universitário pode ter dúvidas quanto ao significado por trás de alguns títulos de programas. E, se o plano é estudar no exterior, a confusão pode ser ainda maior.

Isso porque os títulos adquiridos no Brasil nem sempre são equivalentes ou têm os mesmos significados que os oferecidos em instituições de ensino de outros países, como nas universidades dos Estados Unidos e Europa. Pensando nisso, preparamos um guia de terminologias para ajudá-lo a se preparar e acertar na escolha de um curso superior no exterior.

Pós-graduação no exterior

Como no Brasil, há duas categorias de pós-graduação no exterior: lato sensu e stricto sensu.  A diferença fundamental entre as elas é que a lato sensu consiste em uma especialização e o aluno não ganha um título acadêmico ao fim do curso, enquanto a stricto sensu é composta por cursos de formação científica e acadêmica, como mestrados e doutorados.

Lato sensu ou stricto sensu?

A pós-graduação lato sensu é ideal para quem já está inserido no mercado de trabalho e busca aperfeiçoamento e evolução profissional em sua área de atuação.  Mesmo não concedendo nenhum título acadêmico, estes cursos costumam ser bastante valorizados no mercado de trabalho por terem foco no treinamento prático do profissional.

Já a pós-graduação stricto sensu é mais voltada para o aspecto acadêmico. O estudo nestes cursos é mais objetivo e menos amplo, muito relacionado à pesquisa e ao conhecimento teórico. É indicado para quem tem a intenção de seguir carreira de pesquisador ou professor universitário e adquirir o título de mestre ou doutor.

O que é o MBA?

O MBA (sigla de Master of Business Administration) é uma das qualificações mais estimadas por profissionais com experiência no mercado de trabalho que estão em busca de qualificação para assumir cargos importantes na área de negócios. Reconhecido internacionalmente, o programa é voltado para quem deseja desenvolver as suas habilidades de gestão e liderança, com aulas comumente complementadas por atividades que envolvem projetos de consultoria e networking.

MBA no exterior x MBA no Brasil

Original dos Estados Unidos, o programa de MBA ganhou espaço nas melhores universidades e instituições do mundo e, hoje em dia, é visto como passo fundamental para quem quer ter uma carreira de sucesso na área dos negócios. No entanto, o curso não é equivalente em todos os países.

O programa de MBA nos Estados Unidos e Europa é um mestrado na área de administração e os formados adquirem o título de mestre ao final do curso. Já no Brasil, o MBA virou sinônimo de especialização e nem sempre está ligado às raízes da administração de negócios, com opções que focam a gestão nas áreas de marketing, finanças etc. Por isso, o MBA brasileiro é considerado um curso de pós-graduação lato sensu, garantindo ao aluno um certificado de especialização, e não um diploma, como seria no caso do mestrado.

*A tabela foi feita com base nos principais cursos de MBA no Brasil, mas podem haver exceções.

MBA x outros mestrados no exterior

Muitos profissionais da área dos negócios ficam em dúvida entre o MBA e outros mestrados na área de business, como finanças e contabilidade. Antes de escolher, o candidato deve analisar as diferenças mais significantes entre o MBA e outros mestrados: o método de ensino e a grade curricular.

A grade dos programas de MBA tradicionais é dominada pelos chamados “estudos de caso”, exemplos do mundo dos negócios que os alunos devem explorar e discutir a fim de evoluir profissionalmente. Por outro lado, a maioria dos mestrados conta com uma grade mais teórica, oferecendo aos profissionais um quadro acadêmico preciso para áreas específicas e conferido técnicas de pesquisa que podem ser muito úteis para quem deseja construir uma carreira de docente.

Mestrado e doutorado no exterior

Os mestrados (Master’s Degrees) e doutorados (PhD, EdD etc) são os tipos de pós-graduação mais procurados por quem deseja dar continuidade à sua educação superior. No exterior, os programas de mestrado e doutorado têm diretrizes que podem variar de acordo com a universidade. Para se aplicar a qualquer um dos dois é necessário ter formação superior completa, certa experiência profissional e um sólido currículo acadêmico. Ter o inglês fluente também é imprescindível e, neste caso, uma experiência de intercâmbio no exterior pode ser um grande diferencial.

Em geral, os cursos de mestrado no exterior têm de dois a três anos de duração. A maioria tem o objetivo de iniciar os estudantes na pesquisa científica e prepará-los para uma possível carreira acadêmica. No entanto, alguns programas de mestrado específicos podem trazer uma grade mais prática e menos teórica, com estudos de casos reais e simulações de situações corriqueiras, como é o caso do MBA.

O doutorado é um programa de estudo mais avançado, com duração que pode variar de quatro a oito anos até a conclusão. Diferentemente do que ocorre no Brasil, no exterior não é obrigatório obter o mestrado para partir para o doutorado. Inclusive, o estudante que tiver interesse em investir em uma carreira acadêmica mais robusta pode partir direto para o doutorado. Em alguns casos, ele até consegue a oportunidade de conquistar o diploma de mestre durante o processo.

Cursos de especialização no exterior

Os cursos de especialização no exterior servem para aprofundar os conhecimentos dos profissionais em áreas especificas. Diferentemente dos mestrados e doutorados, esse programa não concede diploma, e sim uma certificação – os chamados certificates.

Esses cursos também costumam ter uma duração mais curta do que os de mestrado e doutorado, com algumas exceções que chegam a extrapolar os dois anos de duração. É indicado para profissionais que desejam expandir os seus conhecimentos profissionais além da sua área de atuação ou adquirir mais conhecimento prático, networking e know-how para desempenhar certas atividades. Dependendo do destino escolhido, um curso de extensão universitária no exterior também pode ser um bom caminho para quem quer se aplicar ao programa de OPT (Optional Practical Training) e ter permissão de trabalhar legalmente por até um ano no país escolhido.

Como fazer uma pós-graduação no exterior?

A lista de documentos e exames necessários para fazer uma pós-graduação no exterior varia de acordo com a universidade e com o tipo de programa escolhido. Em geral, todos os programas exigem comprovação de proficiência no idioma (geralmente TOEFL ou IELTS, para o inglês) e testes de raciocínios lógicos, como o GMAT e o GRE, além de cartas de recomendação e currículo profissional.

A melhor opção é contatar uma agência de intercâmbio para se informar sobre qual é a documentação exigida pela instituição que você deseja ingressar e para auxiliar no processo de colocação nas universidades. Para preparar os estudantes para ingresso em mestrado nos Estados Unidos e no Reino Unido, o STB conta com um departamento exclusivo, oferecendo programas com duração de até oito meses, que auxiliam na transição para o sistema de ensino de pós-graduação americano e o auxiliam a conquistar todos os requisitos de ingresso ao mestrado por meio do programa.

mm

Equipe G.A.T.E. BR

O G.A.T.E. (Global Access Through Education) é uma plataforma de conteúdo com artigos sobre escolas e universidades no exterior, perspectivas profissionais e informações sobre desenvolvimento pessoal.

Deixe uma resposta